Qualquer substância química é capaz de provocar alterações no corpo humano, seja ela natural ou sintética. A pessoa que se torna dependente costuma abusar dessas substâncias para obter sensações de prazer, euforia ou aumento da sensibilidade. No entanto, os efeitos das drogas no organismo provocam mudanças significativas em seu funcionamento e oferecem riscos à saúde.

Quem usa drogas recreacionais (sem finalidade médica) geralmente está exposto ao efeito potencializado ou prolongado de seus princípios ativos. Por atuarem no sistema nervoso central de um indivíduo, esses compostos são conhecidos como psicotrópicos.

As drogas psicotrópicas ou psicoativas atuam de modo temporário nos neurônios, afetando o humor, o comportamento e os processos cognitivos de um indivíduo. Assim, elas podem provocar confusão mental, dificuldade na fala e até alucinações.

A seguir, vamos compreender melhor quais são os efeitos das drogas no organismo.

Como as drogas agem no corpo humano

As drogas agem no organismo de um indivíduo desde o primeiro momento de seu contato com essas substâncias. Esse contato pode ser via intravenosa (injetável), nasal (inalação) ou oral (ingestão).

Quanto à sua origem, as drogas podem ser naturais, sintéticas ou semissintéticas. Elas subdividem em grupos de acordo com seus efeitos:

  • alucinógenas: causam distorções na percepção e no raciocínio de um indivíduo. Frequentemente provocam alucinações;
  • analgésicas: levam ao relaxamento muscular, causando uma sensação temporária de entorpecimento e bem-estar;
  • estimulantes: aumentam os níveis de atividade motora e cognitiva no organismo e reforçam o estado de alerta, causando a sensação de euforia;
  • hipnóticas: substâncias que induzem um indivíduo ao sono;
  • inalantes: aerosóis ou solventes que contêm substâncias combinadas, geralmente incluídas entre as categorias acima.

O abuso dessas substâncias pode provocar danos irreversíveis ao organismo, à medida em que essas substâncias intoxicam o corpo e transformam sua estrutura.

Como é o tratamento de um dependente químico

O tratamento de um dependente químico exige cautela e paciência. O primeiro passo é desintoxicar o corpo da substância que causa dependência. Porém, seu consumo não pode ser interrompido imediatamente, uma vez que ele provoca crises de abstinências que podem até matar.

Além disso, é preciso fazer o diagnóstico correto do quadro clínico do dependente. Além do abuso de drogas, ele pode sofrer com distúrbios mentais, o que torna o tratamento mais complexo.

A conscientização também é um fator importante para um tratamento rápido, adequado e eficaz. Uma pessoa que reconhece os males das drogas e concorda em fazer o tratamento, aumenta muito as suas chances de abandonar totalmente as drogas e se reintegrar à sociedade.

Assim, o apoio dos familiares e amigos é fundamental para promover essa recuperação. É preciso também identificar os gatilhos que levam ao consumo de drogas e evitar situações que impulsionem a pessoa a ter uma recaída. O ideal é afastar o paciente de um ambiente nocivo e evitar que ele volte a ele após concluir seu tratamento.

Tem mais dúvidas sobre os efeitos das drogas no organismo? Deixe aqui o seu comentário ou entre em contato conosco. Temos uma equipe de especialistas preparados para lidar com a dependência química e toda a infraestrutura necessária para um tratamento eficaz.

Planos de Saúde

Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Medial
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos
Consultas e Internação