Problemas de saúde mental afetam cerca de 1 em cada 10 crianças e jovens. Incluem depressão, ansiedade e transtorno de conduta, e muitas vezes são uma resposta direta ao que está acontecendo em suas vidas. De forma alarmante, no entanto, 70% das crianças e jovens que sofrem de um problema de saúde mental não tiveram intervenções apropriadas em uma idade suficientemente precoce.

O bem-estar emocional das crianças é tão importante quanto a sua saúde física. Uma boa saúde mental permite às crianças e aos jovens desenvolverem resiliência para lidar com os acontecimentos da vida, crescerem bem e se transformarem em adultos saudáveis. Coisas que podem ajudar a manter as crianças e jovens mentalmente bem incluem:

  • Estar em boa saúde física, se alimentar de uma dieta equilibrada e fazer exercícios regulares;
  • Ter tempo e liberdade para jogar e brincar;
  • Fazer parte de uma família que se dá bem na maioria das vezes;
  • Frequentar uma escola que cuide do bem-estar de todos os seus alunos;
  • Participar de atividades locais para os jovens.

Outros fatores também são importantes, incluindo:

  • Sentir-se amado, entendido, valorizado e seguro;
  • Estar interessado na vida e ter oportunidades para se divertir;
  • Estar esperançoso e otimista;
  • Ser capaz de aprender e ter possibilidade de sucesso;
  • Aceitar quem ele é, reconhecendo suas dificuldades e valorizando suas qualidades;
  • Ter um sentimento de pertencer à sua família, escola e comunidade;
  • Sentir que ele tem algum controle sobre sua própria vida;
  • Ter força para lidar quando algo está errado (resiliência) e capacidade de resolver problemas. A maioria das crianças crescem mentalmente saudáveis, mas as pesquisas sugerem que mais crianças e jovens têm problemas com a sua saúde mental hoje do que há 30 anos. Isso é provavelmente por causa de mudanças na maneira como vivemos agora e como isso afeta a experiência de crescer.

Lidar com a mudança

Os acontecimentos com as crianças não levam a problemas de saúde mental por si só, mas a eventos traumáticos que podem desencadear problemas para indivíduos que já são vulneráveis. Mudanças muitas vezes agem como gatilhos: mudar de casa ou de escola, ou o nascimento de um novo irmão ou irmã, por exemplo. Algumas crianças podem se sentir animados sobre como fazer novos amigos na escola e ter novas atividades, mas outros podem se sentir ansiosos em relação a algo novo em suas vidas. Os adolescentes muitas vezes experimentam turbulência emocional quando seus corpos e mentes se desenvolvem. Alguns jovens acham difícil fazer essa transição para a idade adulta e podem experimentar essa mudança ingerindo e consumindo álcool, drogas ou outras substâncias que podem afetar sua saúde mental.

Fatores de risco

Há certos fatores de risco que tornam algumas crianças e jovens mais propensos a ter problemas do que outros. Alguns desses fatores incluem:

  • Ter uma doença física a longo prazo;
  • Ter um pai ou mãe com problemas de saúde mental, com álcool ou com a lei;
  • Enfrentar a morte de alguém próximo;
  • Ter pais que se separam ou se divorciam;
  • Ter sido severamente intimidado ou abusado física ou sexualmente;
  • Viver na pobreza ou ser sem-teto;
  • Enfrentar a discriminação, talvez por causa de sua raça, sexualidade ou religião;
  • Ter que agir como um cuidador para um parente, assumindo responsabilidades de adulto;
  • Ter dificuldades educacionais durante longos períodos.

Transtornos mentais na infância e adolescência

Estes são alguns dos problemas de saúde mental que podem afetar crianças e jovens: A depressão afeta mais crianças e jovens de hoje do que nas últimas décadas, mas ainda é mais comum em adultos.

Os adolescentes são mais propensos a sofrer de depressão do que crianças pequenas. A automutilação é um problema muito comum entre os adolescentes. Alguns deles acham que isso os ajuda a controlar a dor emocional intensa, por meio de cortes, arranhões ou queimaduras feitas em si próprios, por exemplo. Eles podem não querer tirar a sua própria vida com tais atos.

O transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) pode levar os jovens a se tornarem extremamente preocupados. Crianças muito jovens começando ou mudando de escola pode ter ansiedade de separação.

O transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) pode se seguir a um abuso físico ou sexual, após testemunhar algo extremamente assustador ou traumatizante, após ser vítima de violência ou intimidação grave ou sobreviver a um desastre.

As crianças que são consistentemente hiperativas, se comportem impulsivamente e têm dificuldade em prestar atenção podem sofrer do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Muito mais meninos do que meninas são afetados, mas as causas do TDAH não são ainda totalmente compreendidas.

Os Transtornos Alimentares geralmente começam na adolescência e são mais comuns em meninas do que meninos.

O número de jovens que desenvolvem um distúrbio alimentar é pequeno, mas transtornos como Anorexia Nervosa e Bulimia Nervosa podem ter consequências graves para a sua saúde física e desenvolvimento. Dr. Andreas Stravogiannis, psiquiatra do Hospital Santa Mônica / Mental Health Foundation

Planos de Saúde

Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Medial
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos
Consultas e Internação