O que são transtornos alimentares?

Os distúrbios alimentares, anorexia nervosa, bulimia nervosa e transtorno de compulsão alimentar e suas variantes, apresentam distúrbios sérios no comportamento alimentar e na regulação do peso. Eles estão associados a uma ampla gama de adversidades consequências psicológicas, físicas e sociais. Uma pessoa com um transtorno alimentar pode começar a comer quantidades menores ou maiores de alimentos, mas em algum momento, o seu desejo de comer menos ou mais vão ficando fora de controle.

Dificuldade grave ou preocupação com o peso ou forma corporal, ou esforços extremos para gerenciar o peso ou consumo de alimentos, também pode caracterizar um transtorno alimentar.

Transtornos alimentares são doenças reais e tratáveis. Eles coexistem com frequência com outras doenças como depressão, abuso de substâncias ou distúrbios de ansiedade.

Outros sintomas podem se tornar fatais se uma pessoa não receber tratamento, que é refletido pela anorexia associada com a mais alta taxa de mortalidade de qualquer transtorno psiquiátrico.

Distúrbios alimentares afetam os dois sexos, embora as taxas entre mulheres e meninas sejam 2 vezes mais altas do que entre homens e meninos. Distúrbios alimentares frequentemente, aparecem durante a adolescência ou idade adulta jovem, mas também podem se desenvolver durante a infância ou mais tarde na vida.

 

Quais são os diferentes tipos de distúrbios alimentares?

Anorexia Nervosa

Muitas pessoas com anorexia nervosa se enxergam com excesso de peso, mesmo quando elas estão claramente abaixo do peso. O ato de controlar a comida e o peso se tornam obsessões. As pessoas com anorexia nervosa normalmente se pesam repetidamente, colocam alimentos cuidadosamente e comem quantidades muito pequenas de apenas certos alimentos. Algumas pessoas com anorexia nervosa também podem se envolver em compulsão seguido de dieta extrema, exercício excessivo, vômito auto induzido ou mau uso de laxantes ou diuréticos.

Os sintomas da anorexia nervosa incluem:

◗ Manter peso corporal extremamente baixo;

◗ Manter severa restrição alimentar;

◗ Pensamento implacável de magreza e falta de vontade para manter um peso normal;

◗ Intenso temor de ganhar peso;

◗ Imagem distorcida do corpo e autoestima fortemente influenciada pelas percepções;

◗ Falta de menstruação entre meninas e mulheres.

Algumas pessoas que têm anorexia nervosa se recuperam com o tratamento rapidamente e não apresentarem mais os sintomas. Outras, no entanto, podem ficar bem, mas ter recaídas. Outros ainda podem ter uma forma mais crônica ou duradoura de anorexia nervosa, em que sua saúde declina enquanto combatem a doença.

Outros sintomas e complicações médicas podem ser desenvolvidas ao longo do tempo, incluindo:

◗ Diluição dos ossos (osteopenia ou osteoporose);

◗ Cabelo e unhas frágeis;

◗ Pele seca e amarelada;

◗ Crescimento de cabelos finos em todo o corpo;

◗ Anemia leve, perda de músculo e fraqueza;

◗ Constipação grave;

◗ Pressão arterial baixa, ou respiração e pulso mais lentos;

◗ Dano à estrutura e função do coração;

◗ Danos cerebrais;

◗ Falha de vários órgãos;

◗ Diminuição da temperatura interna do corpo, fazendo com que uma pessoa fique fria o tempo todo;

◗ Letargia, lentidão ou sensação de cansaço o tempo todo;

◗ Infertilidade;

Bulimia nervosa

As pessoas com bulimia nervosa têm episódios recorrentes e frequentes de comer de forma incomum grandes quantidades de alimentos e sentir uma falta de controle sobre esses episódios. Esta compulsão alimentar é seguida por um comportamento que compensa o excesso de comida, como o vômito forçado, uso excessivo de laxantes ou diuréticos, jejum, exercício excessivo ou uma combinação desses comportamentos.

Ao contrário da anorexia nervosa, as pessoas com bulimia nervosa geralmente mantêm o que é considerado um peso saudável ou normal, enquanto alguns estão ligeiramente acima do peso. Mas, como pessoas com anorexia nervosa, muitas vezes temem ganhar peso, querem desesperadamente perder peso e estão intensamente infelizes com o tamanho e a forma do seu corpo. Normalmente, o comportamento bulímico é feito secretamente porque muitas vezes é acompanhado por sentimentos de desgosto ou vergonha. A compulsão alimentar e o ciclo de purga podem acontecer em qualquer lugar, várias vezes por semana, muitas vezes ao dia.

Outros sintomas incluem:

◗ Inflamação crônica e dor de garganta;

◗ Glândulas salivares inchadas na área do pescoço e da mandíbula;

◗ Esmalte de dentes manchados e dentes cada vez mais sensíveis e em decomposição como resultado da exposição a acidez do estômago;

◗ Transtorno de refluxo ácido e outros problemas gastrointestinais;

◗ Dor e irritação intestinal por abuso de laxante;

◗ Desidratação severa por causa da purga;

◗ Desequilíbrio eletrolítico: níveis muito baixos ou muito elevados de sódio, cálcio, potássio e outros minerais que podem levar a um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral.

Transtorno de compulsão alimentar

As pessoas com distúrbios compulsivos perdem o controle sobre a alimentação. Ao contrário da bulimia nervosa, os períodos de compulsão alimentar não são seguidos por comportamentos compensatórios como a purga, exercício excessivo ou jejum. Como resultado, as pessoas com transtorno compulsivo estão frequentemente com excesso de peso ou obesidade. As pessoas com transtorno compulsivo que são obesos têm maior risco para desenvolver doenças cardiovasculares e hipertensão arterial. Também experimentam culpa, vergonha e angústia sobre a compulsão, o que pode levar a uma compulsão excessiva.

Como é o tratamento de transtorno alimentar?

Os objetivos típicos do tratamento incluem restaurar a nutrição adequada, trazendo o peso para um nível saudável, reduzindo o exercício excessivo e interrompendo a compulsão e comportamentos de purga. Formas específicas de psicoterapia, ou terapia de fala – incluindo uma terapia familiar e cognitiva e abordagens comportamentais – demonstraram ser úteis para o tratamento de distúrbios alimentares. A evidência também sugere que os medicamentos antidepressivos podem ajudar na bulimia nervosa e também pode ser eficaz para o tratamento de co-ocorrência da ansiedade ou depressão para outros distúrbios alimentares.

Os planos de tratamento de transtorno alimentar geralmente são adaptados às necessidades individuais e podem incluir um ou mais do seguinte:

◗ Psicoterapia individual, grupal ou familiar;

◗ Cuidados médicos e monitoramento;

◗ Aconselhamento nutricional;

◗ Medicamentos (por exemplo, antidepressivos).

Alguns pacientes também podem precisar ser internados para tratar problemas causados por desnutrição ou para garantir que eles comam o suficiente se tiverem muito baixo peso.

A recuperação completa é possível.

O que está sendo feito para entender melhor e o tratamento de transtorno alimentar?

Os pesquisadores estão descobrindo que os distúrbios alimentares são causados por uma complexa interação de fatores genéticos, biológicos, psicológicos e sociais. Mas muitas perguntas ainda precisam de respostas. Os pesquisadores estão estudando questões sobre comportamento, genética e função cerebral para melhor compreender os fatores de risco, identificar marcadores biológicos e desenvolver psicoterapias específicas e medicamentos que podem direcionar áreas no cérebro que controlam o comportamento alimentar.

Imagens de cérebro e estudos genéticos podem fornecer indícios de como cada pessoa pode responder a tratamentos específicos para essas doenças médicas.

Os esforços também visam desenvolver e aperfeiçoar estratégias para prevenir e ratar transtornos alimentares entre adolescentes e adultos.

Reconhecer a situação e buscar ajuda especializada é o primeiro passo para mudar a situação.
Fale Conosco

Planos de Saúde

Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Medial
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos
Consultas e Internação