Problemas de saúde mental afetam cerca de 1 em cada 10 crianças e jovens. Incluem depressão, ansiedade e transtorno de conduta, e muitas vezes são uma re

As mulheres em idade fértil que possam vir a engravidar e estão consumindo bebidas alcoólicas, colocam em risco a saúde dos bebês. As mães que amamentam e ingerem álcool também estão colocando em risco seus filhos, pois o álcool passa para o leite materno.

Um estudo feito por alguns Centros para Controle e Prevenção de Doenças, nos Estados Unidos, relata que 1 a cada 10 mulheres com idades entre 18 e 44 grávidas admitem consumir cerveja, vinho ou licor. Cerca de um terço das entrevistadas relataram ter consumo álcool em doses excessivas nos últimos 30 dias. É definido como consumo excessivo de álcool o uso de quatro ou mais doses em uma ocasião nas últimas quatro semanas.

A Síndrome Alcoólica Fetal é um quadro clínico complexo, que envolve manifestações diversas em bebês nascidos de mães que consumam bebida alcoólica durante a gestação. Os problemas ocorrem em função da interferência na formação do sistema nervoso central do feto, cujos fenômenos de proliferação normal e migração dos neurônios não transcorrem adequadamente em certas estruturas, culminando com alterações congênitas, anomalias diversas, retardo de crescimento e anormalidade no desenvolvimento da cognição, além de problemas comportamentais que impactam ao longo de toda a vida, mesmo as crianças sobreviventes.

Por razões ainda pouco conhecidas da ciência, não é 100% das crianças de mães que bebem na gravidez que nascem com problemas. Porém, bebês que sofrem de síndrome alcoólica fetal podem nascer também com defeitos físicos, com peso e altura abaixo do normal, com defeitos na face e orelhas, com sistema imunológico enfraquecido, com má formação ou funcionamento inadequado do coração.

O consumo de álcool por gestantes, a depender da dose e frequência, pode provocar desde disfunções mais sutis até o quadro completo da SAF, incluindo aborto, parto prematuro, morte fetal e uma série de deficiências físicas, comportamentais, cognitivas, sociais e motoras, além de outras dificuldades ao longo da vida.

Síndrome Alcoólica Fetal

É uma condição em que resulta da exposição ao álcool a uma criança durante a gravidez da mãe. Causa danos cerebrais e problemas de crescimento. Os problemas causados pela variam de criança para criança, mas os defeitos causados são irreversíveis.Não há nenhuma quantidade de álcool que seja conhecida por ser segura para se consumir durante a gravidez. Se você beber durante a gravidez, você coloca seu bebê em risco o seu bebê de ter a síndrome de álcool fetal.Se você suspeitar que seu filho tenha Síndrome Alcoólica Fetal, fale com seu médico o mais rápido possível. O diagnóstico precoce pode reduzir o risco de problemas como dificuldades de aprendizagem e problemas comportamentais.

Sintomas

A gravidade dos sintomas da Síndrome Alcoólica Fetal variaram com as crianças experimentadas a um grau muito maior do que outras. Os sinais e sintomas da Síndrome Alcoólica Fetal podem incluir qualquer mistura de defeitos físicos, deficiências intelectuais ou cognitivas e problemas de funcionamento e enfrentamento da vida diária.

Defeitos físicos

Os defeitos físicos podem incluir:

  • Características faciais distintivas, incluindo olhos largos, um lábio superior excepcionalmente fino, um nariz curto e virado para cima e uma superfície lisa da pele entre o nariz e o lábio superior;
  • Deformidades das articulações, membros e dedos;
  • Crescimento lento antes e depois do nascimento;
  • Dificuldades de visão ou problemas de audição;
  • Pequena circunferência da cabeça e tamanho do cérebro;
  • Defeitos cardíacos e problemas de rins e ossos;
  • Problemas do cérebro e do sistema nervoso central.

Os problemas com o cérebro e o sistema nervoso central podem incluir:

  • Má coordenação ou equilíbrio;
  • Incapacidade intelectual, distúrbios de aprendizagem e atraso no desenvolvimento;
  • Má memória;
  • Problemas com atenção e com informações de processamento;
  • Dificuldade de raciocínio e resolução de problemas;
  • Dificuldade de identificar as consequências das escolhas;
  • Competências de julgamento deficientes;
  • Nervosismo ou hiperatividade;
  • Mudanças rápidas de humor;

Questões sociais e comportamentais

Problemas no funcionamento, enfrentamento e interação com outras pessoas podem incluir:

  • Dificuldade na escola;
  • Problemas com os outros;
    Habilidades sociais pobres;
  • Problemas para se adaptar ou mudar de uma tarefa para outra;
  • Problemas com comportamento e controle de impulsos;
  • Baixo conceito de tempo;
  • Problemas na tarefa;
  • Dificuldade em planejar ou trabalhar em direção a uma meta.

Quando consultar um médico

Se estiver grávida e não puder parar de beber, consulte o seu obstetra ou outro profissional de saúde para obter ajuda.Como o diagnóstico precoce pode ajudar a reduzir o risco de problemas de longo prazo para crianças com Síndrome Alcoólica Fetal, informe o médico do seu filho se você bebeu álcool enquanto estava grávida.

Não espere que os problemas surjam para procurar ajuda.Se você adotou uma criança ou está fornecendo o cuidado, você não pode saber se a mãe biológica da sua criança bebeu o álcool durante a gravidez – e pode não ocorrer inicialmente a você que seu filho pode ter a síndrome fetal do álcool.

No entanto, se o seu filho tem problemas de aprendizagem e de comportamento, converse com o médico do seu filho para que a causa subjacente possa ser identificada.

Causas

Quando você está grávida e bebe álcool:

  • O álcool entra na corrente sanguínea e atinge o seu feto em desenvolvimento atravessando a placenta;
  • O álcool provoca concentrações mais elevadas de álcool no sangue em seu bebê em desenvolvimento do que em seu corpo porque um feto metaboliza o álcool mais lentamente do que um adulto;
  • O álcool interfere com o fornecimento de oxigênio e nutrição ideal para tecidos e órgãos em desenvolvimento do seu bebê, incluindo o cérebro.

Quanto mais você bebe durante a gravidez, maior o risco para seu feto. O cérebro, o coração e os vasos sanguíneos do bebê começam a se desenvolver nas primeiras semanas de gravidez, antes que você possa saber que está grávida.A deficiência de características faciais, o coração e outros órgãos, incluindo os ossos, e o sistema nervoso central pode ocorrer como resultado de beber álcool durante o primeiro trimestre. É quando essas partes do feto estão em estágios-chave de desenvolvimento. No entanto, o risco está presente a qualquer momento durante a gravidez.
Fatores de RiscoQuanto mais álcool você bebe durante a gravidez, maior a chance de problemas em seu bebê. Não há nenhuma quantidade segura conhecida de consumo de álcool durante a gravidez.Você poderia colocar seu bebê em risco mesmo antes de você perceber que está grávida. Não beba álcool se:

  • Você está grávida;
  • Você achar que pode estar grávida;
  • Você está tentando engravidar.

Complicações

Os comportamentos problemáticos não presentes no nascimento que podem resultar da síndrome alcoólica fetal (deficiências secundárias) podem incluir:

  • Transtorno de déficit de atenção / hiperatividade (ADHD);
  • Transtorno de conduta, que inclui agressão, violação de regras e leis e conduta social inadequada;
  • Uso indevido de álcool ou drogas;
  • Transtornos de saúde mental, como depressão, ansiedade ou transtornos alimentares;
  • Problemas na escola, com vida independente e com emprego;
  • Comportamentos sexuais inapropriados.

 

Alcoól Gravidez

Fonte: Dr. Claudio Duarte e Mayo Clínic

Planos de Saúde

Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Medial
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos
Consultas e Internação