Anorexia Nervosa é um transtorno alimentar caracterizado pela ingestão restritiva e um medo intenso de ganhar peso. A anorexia é muitas vezes reconhecida fisicamente através de perda de peso e é um grave problema de saúde mental. Alguém com anorexia, muitas vezes tem um medo intenso de ganhar peso e muitas vezes tem medo de ser julgada com base no seu peso. Qualquer pessoa pode ser afetada pela anorexia. Enquanto as estatísticas mostram que a anorexia é mais comumente relatada por jovens do sexo feminino, anorexia está cada vez mais sendo relatada por homens e meninos, mulheres com idade superior a 40 anos, e em crianças a partir dos sete anos.

Quais são as causas da anorexia nervosa?

Não há uma causa única para a anorexia. É geralmente entendida como sendo uma combinação de fatores.

Fatores Psicológicos

A baixa autoestima tem sido comumente associada como um gatilho para o aparecimento da anorexia. Muitas pessoas com anorexia, relatam que se sentem inúteis e que não são bons o suficiente. Perder peso pode começar a sentir como uma sensação de realização e pode se tornar um caminho para algumas pessoas para sentir um senso de valor.

Certos traços de personalidade, tais como perfeccionismo também foram encontrados para fazer uma pessoa mais susceptível de ser afetada pela anorexia. Outros factores psicológicos que estão associados com a anorexia incluem:

  • Outras condições de saúde mental, particularmente depressão, automutilação e ansiedade;
  • Encontrando dificuldades para lidar com o estresse e com a vida;
  • Ter sentimentos de obsessão e compulsão.

Fatores sociais

Vivemos em uma sociedade onde a imagem corporal é muito importante. Isto significa que a forma como nos vemos reflete o nosso valor que pode nos fazer sentir cada vez mais vergonha de nossos corpos se eles não se encaixam no modelo do que é um “bom corpo”. No mundo da moda que sempre ditou o “modelo padrão” de beleza e consequentemente de magreza, isso vem sendo muito debatido.

Mas esse modo como nos vemos, pode ter um impacto sobre o nosso corpo-estima e como pensamos sobre nós mesmos. Essas pressões culturais e sociais podem fazer com que aqueles particularmente vulneráveis a desenvolver um transtorno alimentar, se sintam mais pressionados e desencadear um transtorno alimentar.

Os factores biológicos

Uma nova pesquisa está investigando as ligações genéticas que podem sustentar a anorexia. Há também um trabalho com foco em explorar o efeito neurológico que pode ajudar a entender por que algumas pessoas desenvolvem anorexia e por que outros não.

Sinais e Sintomas da Anorexia

Pode ser difícil de dizer que você conhece ou tem um amigo com anorexia nervosa. No entanto, existem casos de pessoas que perdem muito peso, mas que estão ligadas a outros problemas de saúde. Por isso, os sinais que indicam que alguém pode ter anorexia incluem: sinais comportamentais

  • Medo de gordura;
  • Preocupação com o peso corporal;
  • Percepção distorcida da forma do corpo ou peso, por exemplo, a pessoa pensa que está acima do peso, quando na verdade está abaixo do peso;
  • Subestimar a gravidade do problema, mesmo após o diagnóstico;
  • Dizer mentiras sobre comer ou o que eles comeram, dar desculpas sobre por que eles não estão comendo, fingir que tenham comido antes;
  • Não ser sincero sobre quanto peso já perderam;
  • Encontrar dificuldades para pensar em outra coisa;
  • Seguir dieta rigorosa;
  • Contar excessivamente as calorias dos alimentos;
  • Evitar alimentos que acha que é engordativo;
  • Comer apenas alimentos de baixa caloria;
  • Restringir as refeições;
  • Evita comer com outras pessoas;
  • Esconde comida;
  • Corta os alimentos em pedaços pequenos – para torná-lo menos óbvio que tenham comido pouco e para fazer o alimento mais fácil de engolir;
  • Comportamento obsessivo e rituais em torno de comer;]
    Exercício excessivo;
  • Retraimento social e isolamento, mantendo-se fora do mundo.

Os sinais físicos

  • Perda de peso grave;
  • Falta de interesse sexual ou potência;
  • Dificuldade em dormir e cansaço;
  • Sentindo zonzo;
  • Dores de estômago;
  • Constipação e distensão abdominal;
  • Sensação de frio ou com uma temperatura corporal baixa;
  • Crescimento de pelos (macio e fino) em todo o corpo;
  • Fica irritado e mal-humorado;
  • Dificuldade de concentração;
  • Pressão sanguínea baixa.

Que tratamentos estão disponíveis?

Terapias

Terapias pode durar até 12 meses ou mais, dependendo do grau da anorexia.

O objetivo das terapias é ajudar a identificar os sentimentos e medos que levam alguém a parar de comer e ajudar a desenvolver uma atitude mais saudável em relação aos alimentos e ao corpo.

Terapia cognitiva analítica (CAT) – isto é baseado na teoria de que os padrões não saudáveis que desencadeiam a anorexia, são normalmente desenvolvidos durante a infância. Ele envolve três etapas: a reformulação (olhando para eventos passados e que pode fornecer uma razão para padrões insalubres), reconhecimento (ajudando as pessoas a ver como esses padrões contribuem para a anorexia) e revisão (identificação de alterações que podem quebrar esses padrões insalubres).

Terapia cognitivo-comportamental (TCC) – concentra-se em identificar e alterar disfuncionais padrões de pensamento, atitudes e crenças que podem desencadear e perpetuar alimentares restritivos da pessoa. O terapeuta ajuda o indivíduo a entender, identificar e mudar comer pensamentos desordenados, como “todo mundo pensa que eu sou gordo”. Um terapeuta pode trabalhar com o indivíduo com anorexia através de intervenções comportamentais específicas, tais como a promoção de comportamentos alimentares saudáveis através da meta configuração etc.

Terapia familiar – um programa de tratamento ambulatorial intensivo, onde os pais desempenham um papel ativo e positivo, a fim de restaurar o peso da sua criança para níveis normais e saudáveis, dar o controle de escolhas alimentares de volta ao seu filho e incentiva desenvolvimento normal da adolescência.

Tratamento Hospitalar

A maioria das pessoas com anorexia não precisa ter tratamento hospitalar, mas para alguns pode ser necessário para gerir a saúde física debilitada. A decisão de iniciar o tratamento em regime de internamento geralmente será feita pelo terapeuta e o tipo de tratamento será decidido para atender necessidades da pessoa.

Fonte: Hospital Santa Mônica e Mental Health Foundation, UK

 

Planos de Saúde

Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Medial
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos
Consultas e Internação