Pelo menos 28 milhões de pessoas no Brasil têm algum familiar que é dependente químico, segundo informações do Levantamento Nacional de Famílias dos Dependentes Químicos (Lenad Família), feito pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

A dependência química é uma doença crônica caracterizada pelo conjunto de fenômenos comportamentais, cognitivos e filosóficos que se desenvolvem após o uso repetido de determinada substância. A dependência pode ser classificada de duas maneiras: substância psicoativa específica, como o álcool, o fumo ou a cocaína, ou a uma categoria de substâncias psicoativas, por exemplo substâncias opiáceas, derivada do ópio. Diversos fatores contribuem para o desenvolvimento da doença, incluindo a quantidade e frequência de uso da substância, a condição de saúde do indivíduo e os fatores genéticos, psicossociais e ambientais.

Os sintomas variam desde o desejo incontrolável de usar a substância, perda de controle, até o aumento da tolerância – necessidade de doses maiores para atingir o mesmo efeito obtido com doses anteriormente inferiores. É importante que o indivíduo com dependência química procure ajuda de profissionais da saúde quando a substância influência negativamente a saúde física do indivíduo.

Planos de Saúde

Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Medial
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos
Consultas e Internação