• 05 JUN 17
    Distimia

    Distimia

    O que é Distimia?

    Distimia é uma forma crônica de depressão, porém menos grave do que a forma mais conhecida da doença. Com a distimia, os sintomas de depressão podem durar um longo período de tempo – muitas vezes, dois anos ou mais.

    O paciente com distimia pode perder o interesse nas atividades diárias normais, se sentir sem esperança, ter baixa produtividade, baixa autoestima e um sentimento geral de inadequação. As pessoas com distimia são consideradas excessivamente críticas, que estão constantemente reclamando e são incapazes de se divertir.

    Só no Brasil existem cinco a 11 milhões de pessoas que sofrem desse mal, de acordo com a Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos (ABRATA).

     

    Causas

    A causa exata da distimia não é conhecida. A distimia pode ter causas semelhantes à depressão tradicional, incluindo:

    • Fatores bioquímicos: pessoas com distimia podem ter mudanças físicas em seus cérebros. O significado destas mudanças ainda é incerto, mas pode ser um caminho para buscar a causa
    • Fatores genéticos: a distimia parece ser mais comum em pessoas com grau sanguíneo de parentesco
    • Fatores ambientais: tal como acontece com a depressão, o ambiente pode contribuir para a distimia. As causas ambientais são situações da vida que são difíceis de lidar, como a perda de um ente querido, problemas financeiros ou um alto nível de estresse.

     

    Fatores de risco

    Certos fatores aumentam o risco de uma pessoa ter distimia. Veja:

    • Ter um parente de primeiro grau com distimia ou depressão
    • Eventos estressantes, como a perda de um ente querido ou problemas financeiros
    • Ser excessivamente dependente de aprovação e atenção das pessoas próximas.

     

    Entre os pacientes que possuem algum transtorno mental, aproximadamente 36% apresentam sintomas depressivos leves e de longa duração – indicando um quadro de distimia. Dessa forma, é comum uma pessoa que tem um transtorno mental, como pânico ou fobia, desenvolver sintomas depressivos. É o que os psiquiatras chamam de “comorbidade”, quando dois ou mais quadros psiquiátricos se associam num mesmo indivíduo.

     

    Sintomas de Distimia

    Os sintomas da distimia são os mesmos da depressão maior, mas em menor número e menos intensos. Os sinais podem incluir:

    • Tristeza ou humor deprimido na maior parte do dia, ou quase todos os dias
    • Perda de prazer nas atividades que antes eram agradáveis
    • Grande mudança em peso (ganho ou perda de mais de 5% do peso dentro de um mês)
    • Perda ou aumento do apetite
    • Insônia ou sono excessivo quase todos os dias
    • Inquietação
    • Fadiga ou perda de energia quase todos os dias
    • Sentimentos de desesperança, inutilidade ou culpa excessiva quase todos os dias
    • Problemas de concentração, que ocorrem quase todos os dias
    • Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio, plano de suicídio ou tentativa de suicídio.

     

    As pessoas com distimia também apresentam altas taxas de faltas no trabalho, comparáveis as taxas de abstenção pode cardiopatias – uma das causas mais comuns no mundo inteiro.

    Em crianças, a distimia pode ocorrer juntamente com o TDAH, distúrbios de comportamento ou de aprendizagem, transtornos de ansiedade ou deficiências de desenvolvimento. Exemplos de sintomas distimia em crianças incluem:

    • Irritabilidade
    • Problemas de comportamento
    • Mau desempenho escolar
    • Atitude pessimista
    • Habilidades sociais pobres
    • Baixa autoestima.

    Sintomas distimia geralmente vêm e vão ao longo de um período de anos, e sua intensidade pode mudar ao longo do tempo. Quando a distimia começa antes dos 21 de idade, ele é chamada de distimia de início precoce. Quando começa depois disso, ele é chamada de distimia de início tardio.

    Fonte: Minha Vida

Entre em Contato